Antonio Augusto Fagundes

Antonio Augusto Fagundes

A Faca

A faca certamente foi a primeira arma feita pelo homem e até chegar a ela o nosso remoto antepassado gastou milênios. Sim, ele usou como arma de defesa pessoal ou para a caça pedras de arremesso e pedaços de pau, “ armas” fabricadas pela natureza.

Mas a faca, não. Sua confecção não foi feita por caso, saída de uma lasca de lava petrificada. Não, o surgimento da faca exigiu cerebração e certamente muitas tentativas fracassadas. Eu vi em museus da Inglaterra e dos Estados Unidos exemplares de facas primitivas, das primeiras “fabricadas” pelo homem. Eram feias, irregulares, mas certamente afiadas – quer dizer, mortais. Com uma dessas facas o homem primitivo podia comer, trinchando o alimento e defender-se do ataque de feras, inclusive do próprio homem, sempre a maior de todas, a mais perigosa, a mais mortífera.

No Rio Grande do Sul a faca aparece já na cintura do gaúcho quando este tipo humano faz sua entrada triunfal no cenário do pampa. Em 1787 o sábio português Dr. José de Saldanha viu alguns caciques minuanos onde hoje fica São Gabriel e um deles trazia entalada na cintura, ás costas, uma faca flamenga. Não sei se ele usou o termo para identificar a origem da faca ou simplesmente o modo de usá-la. Muitos povos usam a faca assim á cintura do lado esquerdo do corpo. Outros preferem usá-la atravessada á frente mas usá-la cruzada ás costas é característica do gaúcho. Aliás, o nosso Estado é particularmente famoso pela quantidade de artesãos fabricantes de facas e pela excelência dos seu trabalho.

Tenho para mim firmemente que o melhor deles e talvez o mais famoso seja o Dr. Cassio Selaimen . Este homem especial – ainda moço, cirurgião –dentista de profissão, altamente categorizado – não faz simplesmente facas, mas verdadeiras jóias disputadas por colecionadores. E não as vende: seu prazer é presentear um amigo. Mas cuidado: usando uma faca Selaimen num churrasco não emprestem para o companheiro ao lado, porque a faca selaimen tem um dom incrível de desaparecer…

A referência da arte que vai alem da identidade do artista

Elton Saldanha

Elton Saldanha

Cássio Selaimen , dr Ortodontista , crioulista e cuteleiro. Reconhecido em sua profissão na ortodontia aonde tem várias especializações e na criação de cavalos crioulos aonde já esteve como presidente da 6 a região da ABCCC , Cássio Selaimen é cultuado cada vez mais pela criação de peças de cutelaria e pelo trabalho social desenvolvido com suas facas gaúchas. A partir da sua iniciativa junto com outros colegas foi criada a Assossiação dos cuteleiros do Rio Grande do Sul , instituição que reúne e congrega em eventos os mestres cuteleiros do sul , as facas de Cássio Selaimen tem hoje a denominação e reconhecimento de: Dom Cássio Selaiemen , e por serem peças raras e diferenciadas em seu designe são valorizadas por quem possui. Este artesão artista tem auxiliado eventos de relevância para doar suas peças de cutelaria e ouriversaría que em leilões revertem em benefícios para instituições sociais.

Lá no rancho de Dom Cássio
Da forja salta faísca
Fagulhando a brasa viva
Andam estrelas ariscas
Na forja o aço é dourado
Que chega encandear a vista
Na bigorna ele é moldado
Com a alma do artista

Dom Cássio é um líder ativista das lidas culturais desde apoio a jovens para quem ministra aulas a palestras e incentivo as artes da cultura gaúcha . Um punhal feito por este artista foi uma das peças de referência do filme O tempo e o vento . Muitos artistas já escreveram poesias e musicas para homenagear Dom Cássio Selaimen.

Com esta faca não se brinca
E não se puxa pra ninguém
Que esta joia vem da forja
De Dom Cásio Selaimen